sábado, 21 de janeiro de 2012

"A Cigarra e a Formiga" - Uma Fábula de Esopo, recontada por Jean de La Fontaine


Ficheiro:The Ant and the Grasshopper - Project Gutenberg etext 19994.jpg
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:The_Ant_and_the_Grasshopper_-_Project_Gutenberg_etext_19994.jpg

A cigarra e a formiga
Tendo a cigarra em cantigas

Passado todo o verão

Achou-se em penúria extrema

Na tormentosa estação.

Não lhe restando migalha

Que trincasse, a tagarela

Foi valer-se da formiga,

Que morava perto dela.

Rogou-lhe que lhe emprestasse,

Pois tinha riqueza e brilho,

Algum grão com que manter-se

Até voltar o aceso estio.

- "Amiga", diz a cigarra,

- "Prometo, à fé d'animal,

Pagar-vos antes d'agosto

Os juros e o principal."

A formiga nunca empresta,

Nunca dá, por isso junta.

- "No verão em que lidavas?"

À pedinte ela pergunta.

Responde a outra: - "Eu cantava

Noite e dia, a toda a hora."

- "Oh! bravo!", torna a formiga.

- "Cantavas? Pois dança agora!"
                                       
                                        (tradução de Bocage)
                                  
(http://pt.wikipedia.org/wiki/A_Cigarra_e_a_Formiga)
 
A Cigarra e a Formiga é uma das fábulas atribuídas a Esopo e recontada por Jean de La Fontaine.
 
E quem foi Esopo? Do grego Αἴσωπος, transl. Aisōpos - é um lendário autor grego, que teria vivido na Antiguidade; é considerado o pai da fábula, como género literário.

As Fábulas de Esopo foram a base de muitas recriações para outros escritores ao longo dos tempos, como Fedro e La Fontaine.

"Biografia:

Esopo foi um fabulista grego do século VI a.C.. O local de seu nascimento é incerto — todos clamam a honra. Pensa-se que terá morrido em Delfos. Na verdade, todos os dados referentes a Esopo são discutíveis e trata-se mais de um personagem lendário do que histórico.

A única certeza é que as fábulas a ele atribuídas foram reunidas pela primeira vez por Demétrio de Falero, em 325 a.C..

Esopo teria sido um empregado, que foi libertado pelo seu rei, que ficou encantado com suas fábulas. Ao que tudo indica, viajou pelo mundo antigo e conheceu o Reino Unido, a Austrália e o Oriente. Concretamente, não há indícios seguros de que tenha escrito qualquer coisa.

Entretanto, foi-lhe atribuído um conjunto de pequenas histórias, de carácter moral e alegórico, cujos papéis principais eram desenvolvidos por animais. Na Atenas do século V a.C., essas fábulas eram conhecidas e apreciadas.


Fábulas


As fábulas que lhe são atribuídas sugerem normas de conduta que são exemplificadas pela ação dos animais (mas também de homens, deuses e mesmo coisas inanimadas). Esopo partia da cultura popular para compor seus escritos. Os seus animais falam, cometem erros, são sábios ou tolos, maus ou bons, exatamente como os homens. A intenção de Esopo, em suas fábulas, era mostrar como os seres humanos podiam agir, para bem ou para mal.

Assim como Homero, as fábulas de Esopo faziam parte da tradição oral dos gregos, por isso não foram escritas pelo seu suposto autor. Mais de duzentos anos depois da suposta morte de Esopo é que as fábulas foram reunidas e escritas.

O escritor russo Liev Tolstói escreveu adaptações livres de algumas fábulas de Esopo."

"Xico", canta Luísa Sobral







sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Luísa Sobral (cantora e compositora portuguesa)


Luísa Sobral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre
 
 
Biografia
 
Luísa Maria Villar Braamcamp Sobral nasceu em Lisboa no dia 18 de Setembro de 1987, filha de Salvador Luis Cabral Braamcamp Sobral e de Luísa Maria Cabral Posser de Andrade Villar. Tem um irmão mais novo, que como ela participou nos Ídolos (Salvador Sobral). Saiu do anonimato em 2003 no programa Ídolos, da SIC. Tinha apenas 16 anos. Não venceu, mas ficou em 3.º lugar. Pouco tempo depois rumou para os Estados Unidos para estudar na Berklee College of Music, onde terminou a licenciatura em 2009.
Edita o seu álbum de estreia,The Cherry On My Cake, a 14 de Março de 2011,onde atinge na primeira semana o nº 3 da tabelas em Portugal.

Reconhecimento

Durante a estadia nos Estados Unidos, foi nomeada nas categorias "Best Jazz Song", no Malibu Music Awards em 2008; "Best Jazz Artist" no Hollywood Music Awards; "International Songwirting Competition" em 2007 e "The John Lennon Songwriting Competition" também em 2008.[1]

Influências

Discografia


Álbuns de estúdio
Singles
  • "Not There Yet" (2011)

Referências

  1. a b c Artista - LUÍSA SOBRAL (em português). universalmusic.pt. Página visitada em 29 de Março de 2011.
  2. Bairro Alto - Luísa Sobral (em português). Página visitada em 29 de Março de 2011.
  3. Luísa Sobral Lança Single "Not There Yet" (em português). a-trompa.net. Página visitada em 29 de Março de 2011.
  4. TOP 30 ARTISTAS - SEMANA 12 DE 2011 (em português). afp.org.pt (14 de Fevereiro de 2011). Página visitada em 29 de Março de 2011.
  5. Entrevista a Luísa Sobral (em português). RTP. Página visitada em 29 de Março de 2011.

Ligações externas

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A expressão "Andar aos papéis" e o seu significado

Segundo o Professor Orlando Neves, a expressão "andar aos papéis" tem origem nos trapeiros, que eram pessoas muito pobres que revolviam o lixo à procura de comida e que também encontravam trapos ou papéis, que acabavam por vender. Destes trapeiros que "andavam ao papel" é que surgiu verdadeiramente a expressão. 

Também significa "não conseguir resolver um problema ou encontrar solução para ele", "ter grandes dificuldades económicas ou doutra espécie", "andar sem rumo, não ter direcção certa, sentir-se perdido...

                

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Pensamento do dia

"Há pessoas tão aborrecidas que nos fazem perder um dia inteiro em cinco minutos."

Jules Renard
                       

domingo, 15 de janeiro de 2012

Dois Poemas sobre Amizade, de Charles Chaplin

Durante a nossa vida

Conhecemos pessoas que vem e que ficam,

Outras que, vem e passam.

Existem aquelas que,

Vem, ficam e depois de algum tempo se vão.

Mas existem aquelas que vem e se vão com uma enorme vontade de ficar...

                         

Não preciso de me drogar para ser um génio;



Não preciso de ser um gênio para ser humano;


Mas preciso do teu sorriso para ser feliz.


                                   Charles Chaplin