sábado, 7 de julho de 2012

Que significa "fazer uma ovação"?


 
                 

Uma ovação é um aplauso, manifestando reconhecimento por algo que sucedeu, de muito positivo.

Costuma dizer-se que quando alguém é aclamado recebe uma ovação (esta palavra vem do latim ovis e significa ovelha).

Quando alguém presta reconhecimento ou homenageia alguém, faz uma ovação.

A ovação significa o pequeno triunfo e tem a ver com o animal sacrificado - a ovelha (ovis). É que, no triunfo, os romanos sacrificavam alguns bois em honra do general vitorioso enquanto que no pequeno triunfo, durante a ovação, a ovelha (ovis) era o animal escolhido para ser sacrificado, surgindo assim ovação/fazer uma ovação.
Quando um herói militar entrava em Roma e todo vestido de branco, fazia-o a pé e não num carro triunfal; era seguido pelos seus soldados e, assim, o povo aclamava-o com uma ovação, em pequeno triunfo.

Fazer ou receber uma ovação.

(ouvido na antena 1, no programa Lugares Comuns, de Mafalda Lopes da Costa)

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Um pouco de música indiciando proximidade do fim de semana...

Alegremo-nos, pois o fim de semana está aí e não adianta pensar sempre no mesmo: na crise (esse papão!) e nas más notícias (constantes!) que os meios de comunicação social nos transmitem, muitas das vezes, de tal forma exagerada e repetitiva, que, muitos de nós, acabam por desistir de as querer continuar a ouvir...enfim, é uma questão de opção!

Perante a situação em que nos encontramos, Il Faut Réagir !!!

Para isso, nada melhor que ouvir o nosso BOSS AC, na sua contagiante e bem ritmada canção "É sexta feira"... e  prestar o máximo de atenção à letra, que é tão realista...!!! Através dela, o cantor desabafa as dificuldades que a vida lhe apresenta, mas escolhe fazê-lo, cantando alegremente!

Vamos seguir o seu exemplo e, se possível,  tentar também enfrentar alegremente as nossas contrariedades...

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Siza Vieira será distinguido com o Leão de Ouro, pela Bienal de Veneza!


                

O arquiteto contemporâneo português, Álvaro Siza Vieira, receberá o prémio a 29 de agosto por ocasião da abertura da 13ª Bienal da Bienal Internacional de Arquitetura, em Veneza (Itália)).

Foi estudante da Escola Superior de Belas Artes do Porto e, mais tarde, professor da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto; a partir daí a sua carreira foi de tal modo vertiginosa, que viria a contribuir de modo inequívoco para que fosse reconhecido e distinguido com o Leão de Ouro pela Bienal de Veneza.

É considerado o expoente máximo da "Escola do Porto" e já venceu o Prémio Pritzker da Arquitetura, no ano de 1992. É um profissional com obra feita e de destaque, tanto em Portugal, como no estrangeiro.

São muitas as obras da sua autoria, espalhadas por todo o  mundo (da América à Ásia), algumas delas (tão harmoniosas) bem conhecidas de todos nós:

o Museu de Serralves, no Porto
a Igreja de Marco de Canaveses
as Piscinas de Marés, em Leça da Palmeira
a Marginal de Leça da Palmeira
a Casa de Chá da Boa Nova
a piscina da Quinta da Conceição
apoio à reconstrução do Chiado
o museu para a Fundação Iberê Camargo em Porto Alegre, no Brasil

e tantas mais...

Em 2010, foi agraciado pela Universidade Técnica de Lisboa com o grau de Honoris Causa.

Para ficar a conhecer melhor a obra de Siza Vieira, basta consultar:
http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81lvaro_Siza_Vieira


quarta-feira, 4 de julho de 2012

A AMI lança marca de produtos alimentares SOS POBREZA


A Ami lançou ontém,  um SOS POBREZA em 44 localidades do nosso país, para combater o crescente empobrecimento.

Os produtos são postos à venda, com preço justo, solidário. 

A AMI (Assistência Médica Internacional),  é uma organização humanitária, que esta terça-feira lançou a marca de produtos alimentares SOS Pobreza, com a finalidade de garantir financiamento para esta associação.

Segundo a AMI, o número de casos de pobreza que recebem apoio foi de 14937, em 2011.

Os produtos alimentares são 30:  azeite, óleo, arroz, farinha, frutas, legumes, papel de wc, água, sumos...e são vendidos em hipermercados como o Continente,  Jumbo e no supermercado Pingo Doce.

"Achámos que este projeto seria interessante, por serem produtos que as pessoas compram sempre, para conseguirmos ter uma forma de angariar fundos para as nossas ações de apoio social e, ao mesmo tempo, ajudar a produção nacional", explica Paulo Cavaleiro, assessor de imprensa da AMI.


Os lucros da venda dos produtos SOS POBREZA revertem a favor da AMI. Apesar da margem de lucro ser pequena, a AMI espera atingir grandes volumes de vendas com esta iniciativa. 

A AMI ofereceu um cabaz com os produtos SOS Pobreza às primeiras 100 pessoas.

Campanhas destas são muito meritórias, pois são manifestações de solidariedade para com os mais necessitados.

"Hoje por eles, amanhã por nós".

terça-feira, 3 de julho de 2012

Ficou belíssima a nova Marina da Afurada e Canidelo, em Vila Nova de Gaia

Segundo pesquisa que efetuei e que passo a transcrever, a nova Marina da Afurada e Canidelo é, obviamente, um trampolim para o desenvolvimento do turismo local, o que se torna muito importante, não só para o país, como também para o concelho de Vila Nova de Gaia.

Veja-se como tudo se passou:


"19.01.2012
Marina da Afurada é inaugurada a 4 de Fevereiro
Por Redacção , com Lusa

A Douro Marina, a inaugurar a 4 de Fevereiro, nas freguesias da Afurada e Canidelo, em Gaia, é a “maior infra-estrutura náutica entre Cascais e a Galiza” e pretende ser um pólo dinamizador do turismo local e uma plataforma de entrada no rio.

“Esta é uma localização irrepetível. Somos a maior infra-estrutura náutica entre Cascais e a Galiza, estamos numa zona da costa com uma grande importância turística, numa zona do estuário muito perto dos centros históricos de Gaia e do Porto e na entrada de um rio navegável que é património da humanidade”, diz Manuel Cunha, director-geral da Douro Marina.

A primeira fase da construção da marina será inaugurada a 4 de Fevereiro e corresponde a um investimento “de cerca de 6,5 milhões de euros que ficam materializados” na infra-estrutura náutica, com zona para estacionamento de 300 embarcações e os apoios básicos de suporte aos clientes.

Assumindo-se como um “ponto de paragem obrigatório para os navegadores em trânsito na costa ocidental”, a marina permite alojar barcos “com calado até 3 metros e comprimento até 20 metros em todas as condições de maré”, tendo já “mais de 150 pré-reservas”, assegura o director-geral.

A 2 semanas da abertura todo o plano de água está dragado, o equipamento flutuante instalado, as obras de protecção concluídas tal como o terraplano (que inclui um espaço para colocação de embarcações a seco, uma rampa e um poço do travel-lift) de apoio à marina.

A partir de Fevereiro, a Douro Marina permitirá “vários tipos de utilização” aos clientes náuticos, com possibilidade de estadias de curta (um mês ou menos) ou larga (mais de um mês) duração.

Uma outra possibilidade prevista é a da visita técnica que permite que qualquer embarcação não residente na marina “possa atracar por 2 ou 3 horas para visitar”.

Segunda fase concluída em Julho

Para a segunda fase, cuja conclusão está prevista em Julho, ficam os edifícios de apoio, a abertura de uma zona comercial que reunirá espaços comerciais e de restauração, bem como locais para apoio das actividades náuticas.

“A conclusão dos edifícios marcará com certeza uma fase muito interessante da zona ribeirinha de Gaia”, com a “criação de um mini-pólo comercial muito atractivo, virado não só para o cliente da marina, mas também para o cliente em geral”, destaca Manuel Cunha.

A inauguração da marina em 2 fases, a começar pela abertura da área molhada, deve-se à necessidade de a disponibilizar, e torná-la visível, “o mais cedo possível para o exterior”, e à importância de “captar clientes” assim que as condições mínimas estivessem reunidas, explica.

Inicialmente anunciada para Junho de 2011, a Douro Marina acabou por ser alvo de uma “redefinição do projecto dos edifícios”, tendo a MCA (empresa construtora e que fará a gestão da concessão) optado por fazer um “investimento suplementar” na sua construção, o que acabou por atrasar a conclusão da obra.

Marcado: Afurada, Economia, Gaia, Turismo"

A grande Festa de São Pedro, na Afurada (Vª. Nª. de Gaia)


São Pedro da Afurada
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre
pesquisa
Portugal - São Pedro da Afurada
Localização
no concelho de Vila Nova de Gaia
Área
- Total 1,00 km2
População (2011)
- Total 3 568
- Densidade 3 568/km2

Correio electrónico afurada@freguesias.pt

Sítio http://www.afurada.pt

São Pedro da Afurada é uma freguesia portuguesa do concelho de Vila Nova de Gaia, com 1,00 km² de área e 3 568 habitantes (2011). Densidade: 3 568 hab/km².

São Pedro da Afurada é uma das três freguesias urbanas da cidade de V. N. de Gaia, juntamente com Mafamude e Santa Marinha. É uma localidade bastante ligada à tradição piscatória. O seu santo padroeiro é o São Pedro.

Festa principal: S. Pedro da Afurada.
Festa de São Pedro
Gente de grande devoção, todos os anos os pescadores prestam a devida homenagem ao Santo, com toda a pompa e circunstância onde para além das cerimónias religiosas não falta a tradicional sardinha assada com a típica Broa de Avintes e o Fogo de Artifício. Esta festa atinge o seu auge, aquando da saída da procissão, cujos andores transportam imagens de Santos e Santas de tamanho natural seguidos pelos seus fieis devidamente trajados com as tradicionais vestes das gentes da pesca.

À passagem defronte ao Rio Douro, procede-se à bênção dos barcos acompanhados pelo toque das sirenes e morteiros.Fica na margem esquerda {Sul} do rio Douro;na margem direita do rio Douro{lado Norte} localiza -se a cidade do Porto.

Durante as Festas de S.Pedro da Afurada, são colocadas na Praça de S.Pedro as imagens da Nª Srª de Fátima, Nª Srª do Carmo (Padroeira dos Homens do Mar) e de S. Miguel o Arcanjo. A Imagem de S.Pedro (Padroeiro dos Pescadores) é permanente neste local, pois aqui existia a antiga Igreja da Afurada, cuja fotografia está patente no restaurante "A casa do pescador" mesmo ao lado deste largo. Essa Igreja foi destruída pelas enchentes do Douro.
Data: 29 de Junho e 1º Domingo de Julho
Local: Freguesia de São Pedro da Afurada
Escolas EB1/JI da Afurada de Baixo
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
São Pedro - 1º papa
Nome de nascimento
Simão Pedro
Nascimento
Betsaida, ca. 1 a.C.
Eleição 53 d.C.
Fim do pontificado 67 d.C.
Morte
Roma, 67 (67 anos)
Sucessor
São Lino
Dia consagrado
29 de junho
São Pedro e as Chaves do Reino dos Céus
Papa, Princípe dos Apóstolos, Kepha (que quer dizer Rocha) e Pescador de Homens
Nascimento ? 1 ano a.C em Betsaida
Morte 67 d.C em Roma
Veneração por Toda a Cristandade
Principal templo
Basílica de São Pedro, Vaticano
Festa litúrgica 29 de junho
Atribuições
duas chaves, cruz invertida, rede de pescador
Padroeiro: dos Papas e dos pescadores
"E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus." Jesus (Evangelho de São Mt. 16. 18-19)
São Pedro (do grego: Πέτρος, Pétros, "pedra", "rocha";[2]; Betsaida, século I a.C., — Roma, cerca de 67 d.C.) foi um dos doze apóstolos de Jesus Cristo, segundo o Novo Testamento e, mais especificamente, os quatro Evangelhos. Os católicos consideram Pedro como o primeiro Bispo de Roma, sendo por isso o primeiro Papa da Igreja Católica.

Património Português classificado pela Unesco como Património Mundial

segunda-feira, 2 de julho de 2012

"Talita Kum" (Menina, Eu te ordeno: Levanta-te) - Evangelho segundo São Marcos Mc 5, 21-24, 35b-43


    

Naquele tempo, depois de Jesus ter atravessado de barco para a outra margem do lago, reuniu-se uma grande multidão à sua volta, e Ele deteve-Se à beira-mar. Chegou então um dos chefes da sinagoga, chamado Jairo. Ao ver Jesus, caiu a seus pés e suplicou-Lhe com insistência: «A minha filha está a morrer, vem impor-lhe as mãos para que se salve e viva». Jesus foi com ele, seguido por grande multidão, que O apertava de todos os lados. Entretanto, vieram dizer da casa do chefe da sinagoga: «A tua filha morreu. Porque estás ainda a importunar o Mestre?». Mas Jesus, ouvindo estas palavras, disse ao chefe da sinagoga: «Não temas; basta que tenhas fé». E não deixou que ninguém o acompanhasse, a não ser Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago. Quando chegaram a casa do chefe da sinagoga, Jesus encontrou grande alvoroço, com gente que chorava e gritava. Ao entrar, perguntou-lhes: «Porquê todo este alarido e tantas lamentações? A menina não morreu; está a dormir». Riram-se d'Ele. Jesus, depois de os ter mandado sair a todos, levando consigo apenas o pai da menina e os que vinham com Ele, entrou no local onde jazia a menina, pegou-lhe na mão e disse: «Talita Kum», que significa: «Menina, Eu te ordeno: Levanta-te». Ela ergueu-se imediatamente e começou a andar, pois já tinha doze anos. Ficaram todos muito maravilhados. Jesus recomendou-lhes insistentemente que ninguém soubesse do caso e mandou dar de comer à menina.