sábado, 27 de abril de 2013

Renda de bilros


Ao tomar um cafesinho numa esplanada, num destes últimos dias mais soalheiros, reparei no verso da embalagem pequena do açúcar, que rezava assim:
"Renda de Bilros
Em algumas regiões do nosso país, esta arte tornou-se um expoente e criaram-se autênticas artesãs. Com uma simples almofada cilíndrica (rebolo),inúmeros bilros de madeira e um pique com um desenho, criam verdadeiras obras de arte rendada. 
A velocidade invulgar com que são manuseados os bilros entre os dedos, provoca um tilintar e uma melodia única"
www.docerar.pt 

Parabéns, Portugal!

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Um novo programa na RTP 1 para toda a família, com o Maestro Rui Massena...! A não perder!


«Música Maestro» é o novo programa da RTP

Música Maestro Rui Massena
"A partir do próximo dia 21 a RTP terá em exibição semanal um novo programa de entretenimento. Música Maestro é, segundo avança Hugo Andrade à TV 7 Dias, um espaço que vai «desconstruir a ideia de que a música clássica é inatingível». Conduzido pelo maestro Rui Massena, o programa «é uma experiência ótima e uma viagem por Portugal. É o promover o contacto das pessoas com a música, é o abrir as portas da orquestra, sempre com um convidado, e atuamos com uma orquestra local», revela. O programa estreia quinta-feira, dia 21, às 22h30." http://quinto-canal.com/2013/03/musica-maestro-e-o-novo-programa-da-rtp/

Pensamentos para nos acompanharem durante o dia de hoje...


                   



Música: quem faturou mais em 2012...

Na indústria musical, o rapper norte-americano, Dr. Dre, foi o cantor que mais faturou em 2012! 

Parabéns, Dr Dre!!!!

Já agora, vamos conhecer os outros vencedores do TOP 10 dos que mais ganham; então, os mais bem pagos foram:

1 -  Dr Dre (84 milhões) *
2 -  Roger Waters (67 milhões)
3 -  Elton John (61 milhões)
4 -  U2 (59 milhões)
5 -  Take That (53 milhões)
6 -  Bon Jovi (46 milhões)
7 -  Britney Spears (44 milhões)
8 -  Paul McCartney (43 milhões)
9 -  Taylor Swift (43 milhões)
10 - Justin Bieber (42milhões)

* Dr. Dre (nome artístico de André Romelle YoungCompton18 de fevereiro de 1965) é um rapperprodutor musical e ator estadunidense. Surgiu na cena musical no fim da década de 1980 é um dos mais conhecidos de entre os produtores de rap da atualidade. É considerado pela revista Rolling Stone como o 56º maior artista de todos os tempos, estando na frente de rappers como EminemTupac Shakur e Jay-Z. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Dr._Dre)


quinta-feira, 25 de abril de 2013

Expressão curiosa: "Entrar em parafuso..."


                      
            imagem obtida em: palavras e origens. blogspot.com

"Entrar em parafuso" significa que alguém está a "perder a cabeça", "a ficar desorientado e nervoso", perante um acontecimento inesperado, não encontrando a resposta certa para esse imprevisto;  no fundo, é "não saber lidar com uma nova situação".

Quando se diz que alguém "tem um parafuso a menos", está a querer dizer-se que esse alguém é considerado "louco", "mentalmente desequilibrado".

Mas como não é provável que haja parafusos no cérebro (!), há que explicar por que se relaciona "os parafusos" com o "estado mental"; a explicação está na etimologia da palavra: par (prefixo, que significa igual) + fuso (utensílio para fiar à roca); o fuso permite unir duas coisas diferentes, portanto,a expressão remete para estados mentais que só uma pessoa em plena capacidade mental é capaz de fazer (capacidade de unir coisas diferentes).
(explicação ouvida na antena 1, no programa Lugares Comuns, de Mafalda Lopes da Costa)

quarta-feira, 24 de abril de 2013

PSY - Gangnam Style

PSY continua a bater recordes...

Ainda recentemente, no dia 13, o cantor pop, PSY,  encheu o Estádio Olímpico de Seul com o espetáculo que ofereceu aos seus fans. 

No dia 15, no YOUTUBE, PSY obteve mais de 62 milhões de visualizações! 

Tal sucesso deve-se à criação de uma nova música, mas também de uma nova coreografia!

terça-feira, 23 de abril de 2013

Ala dos Namorados: "Caçador de Sois"



António José Seguro "só aceitará falar em consenso caso o Governo recue na intenção de disferir profundos golpes na despesa do Estado."

PS 
As condições de Seguro para aceitar namoro com Passos
O secretário-geral do maior partido da oposição, António José Seguro, só flexibilizará a sua posição face ao apelo do Governo para que haja consenso, caso o Executivo liderado por Pedro Passos Coelho, desista dos cortes que tem planeados ao nível da despesa pública, adianta a edição desta terça-feira do Jornal de Notícias.
As condições de Seguro para aceitar namoro com Passos
DR
POLÍTICA







Após a reunião pouco frutífera da semana passada entre Passos Coelho e o secretário-geral socialista, António José Seguro, os apelos à necessidade de diálogo e de convergência continuam a multiplicar-se.

Porém, avança o Jornal de Notícias, o líder rosa só aceitará falar em consenso caso o Governo recue na intenção de disferir profundos golpes na despesa do Estado.


Esta será uma condição inalienável que Seguro terá imposto. Estes cortes, refira-se, foram evocados como medidas alternativas ao chumbo do Tribunal Constitucional de quatro das normas do Orçamento do Estado para 2013 enviadas para fiscalização sucessiva.

Ainda neste contexto, e segundo a mesma publicação, o facto de o Executivo parecer começar a colocar a batuta do lado da economia – prova disso será o Conselho de Ministros de hoje, em que Álvaro Santos Pereira apresenta um plano de crescimento económico – será mais um sinal de que está a ‘piscar o olho’ ao PS, não fosse o crescimento económico uma das bandeiras socialistas para ultrapassar a actual conjuntura em que o País se encontra mergulhado.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Sair do Euro? A opinião de Daniel Deusdado : "Suicidarmo-nos não é boa ideia"




Suicidarmo-nos não é boa ideia

JN-18-04-2013

Não gostaria de ser desmancha-prazeres mas, pelo sim pelo não, acho que seria melhor alguém perguntar aos empresários se acham que a saída do euro é a melhor maneira de recuperar a economia... Eles são as pessoas que vivem do mercado internacional e seriam os primeiros a querer ganhar dinheiro com a desvalorização dos nossos produtos... Mas não pedem o regresso do escudo. Por que será?

Arrepiante o "Prós e Contras" de segunda-feira, na RTP, sem um único empresário. Que João Ferreira do Amaral insista na tese, teórica, de que a saída é a solução, é democrático. Mas a partir daí é o delírio. Jorge Bateira, economista da esquerda ortodoxa, aproveitou o programa para propagandear uma nova economia planificada pelo Estado, assente no milagre da produção de notas ilimitadas pelo Banco de Portugal e na qual pagar as dívidas do país é a utopia mesmo à mão. É barato e dá milhões. A Albânia, a Bulgária ou a Ucrânia emitem moeda. São ricos? Competitivos?

Uma ruptura com a Europa, em nome dos pobres... Os pobres, que com o fim da moeda europeia comprarão ao dobro do preço os importados medicamentos, cereais que fazem o pão e tantos outros alimentos. Claro, ressurge então o mito do Portugal autossustentável, o regresso à agricultura: sim, é uma boa ideia. Mas vai demorar anos. E muitos problemas para concretizar - o salazarista Alentejo 'celeiro' do país, irrigado pelo Alqueva para produzir desastrosamente 'pão' de regadio em terras de sequeiro. Ou os férteis terrenos litorais onde agora não há couves nem tomates mas sim urbanizações. E agora, as cidades comem o quê?

E depois, os mitos do novo escudo. Mito 1: 'dinamizar o investimento'. Questão: como se reindustrializa Portugal com máquinas industriais a custarem o dobro do preço? Mito 2: a desvalorização competitiva para exportar... Só uma pergunta (sem querer atrapalhar os académicos): quantos meses dura? E a inflação galopante a destruir rapidamente a desvalorização e os saláros? E as taxas de juro (impossíveis de calcular neste momento)?

Enfim, sem o euro, os amanhãs cantarão... Fome, mais desemprego, dívidas em euros apesar de salários em escudos, depósitos bancários desvalorizados para todos ('Chipre' é uma brincadeira comparando com isto), fronteiras bloqueadas para evitar a fuga de milhares de portugueses...

Obviamente Portugal tem de se preparar para este cenário de saída do euro caso não consiga encontrar uma liderança que mobilize trabalhadores e empresários - além de precisar de contas mais direitas no Estado. Mas daí até sermos nós a atirarmo-nos de cabeça para o abismo a fim de sentirmos a suprema liberdade do nosso destino (o prazer do voo!), ignorando a terrível queda, é demencial.

Até porque não é verdade que a alternativa seja apenas a de nos rendermos à fórmula recessiva, falhada, da troika. Há outra hipótese. Está dita e escrita em muitos lados, discutida até à exaustão: a Europa criou uma moeda única, estabeleceu limites para o défice mas não estabeleceu um mecanismo que permitisse aos países sobreviver num momento de hecatombe económica. 

Esse mecanismo chama-se 'eurobonds'. Ou seja, dar a possibilidade de obter financiamento nos mercados mundiais a taxas de juro decentes (usufruindo da solidez, em bloco, da economia europeia). Nem sequer precisamos do dinheiro alemão: precisamos é de continuar a aceder ao dinheiro mundial que comprará eurobonds europeias. Isto, obviamente, com rigor nas contas, menos défice, mas também mais tempo para endireitar a economia. Infelizmente Merkel não quer e Gaspar, Rajoy, Hollande e os italianos não ousam.

E é nas eurobonds que o nosso futuro se vai decidir. Porque ou a Europa se salva a si mesma ou é o caos. Era útil, no entanto, que neste compasso de espera os portugueses não optassem pelo suicídio político, coletivo, indo atrás do canto da sereia das 'facilidades' do escudo. Por mim prefiro Portugal na primeira divisão do Mundo, ainda que com dificuldades durante uns anos, que ser campeão do campeonato de amadores.