sexta-feira, 19 de julho de 2013

Ice Dancing

Uma atividade lúdica engraçada: França de A a Z

A como AIRBUS   








B como BAGUETTE




C como CAMEMBERT








D como DANONE
 
E como EIFFEL
 

F como FRANCOPHONIE
G como GARNIER
H como HÔTEL DE VILLE
I como IMPRESSIONNISME
J como JEANNE D'ARC
K como KOUROU
L como LOUVRE
M como MICHELIN
N como NAPOLÉON
O como ÓBELIX
P como PARIS
Q como QUARTIER LATIN
R como RENAULT
S como SAINT-TROPEZ
T como TGV
U como Union EUROPÉENNE
V como VERSAILLES
W como WALLON
X como X- ÉCOLE POLYTECHNIQUE
Y como YVES SAINT-LAURENT
Z como ZIDANE


SUGESTÃO para continuar esta atividade: procurar imagens na NET correspondentes às palavras apresentadas, completando até Z e tentando ficar assim a conhecer um maior leque de vocábulos franceses. 

De seguida, procurar investigar ao que estão associados (marcas de produtos, figuras históricas, cidades, arte...). 

É, sem dúvida, um passatempo que aumenta a nossa cultura geral!

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Apelo a que os três partidos se entendam...

  
Entendam-se”, apelam empresários portugueses aos partidos
 
17 Julho 2013, 18:02 por Jornal de Negócios | jng@negocios.pt
 
Alexandre Relvas, Daniel Bessa, Francisco van Zeller e João Talone são alguns dos empresários portugueses que, esta quarta-feira, lançaram um apelo aos partidos do arco da governação. A ausência de um acordo entre PSD, PS e CDS representa um risco “para todos nós”.

Uma semana após Cavaco Silva ter pedido aos três partidos um “compromisso de salvação nacional” – e quatro dias após o início das negociações – 20 empresários portugueses escreveram uma carta dirigida ao PSD, CDS-PP e PS, onde apelam a um entendimento entre as três partes.

“Entendam-se, nos termos que só os próprios determinarão, condicionados, para que o exercício cumpra os objectivos pretendidos, ao acordo das entidades que hoje nos financiam, enquanto não conseguirmos dispor da autonomia que só poderá ser assegurada por um regresso pleno aos mercados financeiros”, pode ler-se no documento assinado por Rui Vilar, Alexandre Relvas, Daniel Bessa, João Talone, Francisco van Zeller, entre outros.

Os 20 empresários recordam que “decorridos mais de dois anos sobre a assinatura do primeiro ‘memorando’, foram conseguidos alguns resultados positivos – nas contas externas -, há objectivos que não foram cumpridos – em matéria de finanças públicas e reformas estruturais” mas as “medidas adoptadas provocaram, como não poderiam deixar de provocar, um rasto de sofrimento, de que o desemprego constitui o exemplo maior”.

Os empresários defendem que não é tempo de “recuar mas de avançar, de forma concertada, cumprindo a nossa parte, enquanto a União Europeia não cumpre, também ela, a sua própria parte no processo de refundação da área do Euro”.

Para os 20 gestores signatários deste apelo, o Presidente da República “colocou-se em linha com os anseios mais profundos manifestados pela população portuguesa” ao apelar a um “compromisso de salvação nacional”. “Sabemos o risco que corre: o de que CDS, PS e PSD não cheguem a acordo, em prejuízo de todos nós. Por isso, só por isso, nos permitimos este apelo: entendam-se”, pedem os empresários.
 
Empresários signatários do apelo aos partidos políticos
Daniel Bessa, Francisco van Zeller, João Bento, João Talone, José Manuel Morais Cabral, Rui Horta e Costa, Alexandre Relvas, António Palha, António Ramalho, Duarte Calheiros, Frederico Lima Mayer, João Melo Franco, João Soares da Silva, Nuno Fernandes Thomaz, Nuno Galvão Teles, Paulo Azevedo P. Silva, Paulo Sande, Rui Vilar, Salvador de Mello e Vasco de Mello. 
(Notícia actualizada às 18h35)
 

"Os Melhors Mornas", de Bana


Uma Morna de Cabo Verde (lindíssima)


terça-feira, 16 de julho de 2013

Morreu Cory Monteith, ator da série televisiva GLEE



Cory Monteith, de 31 anos, foi encontrado morto no seu quarto de hotel em Vancouver, Canadá, durante a noite de sábado, 14 de julho. 

Tinha um passado de consumo de drogas o que, logo após a sua morte, fez levantar a suspeita de que teria sido vítima de uma overdose. 

Com efeito, foram encontradas no quarto de hotel substâncias que ainda estão por identificar e "uma quantidade enorme de álcool". O seu 1º tratamento de reabilitação foi aos 19 anos e ainda em abril último terminara outro.

Lea Michele (na foto, com ele), era sua namorada há dois anos e está, como é óbvio, inconsolável. Ambos protagonistas da série, sempre foram uma espécie de "meninos queridos", admirados por todos os colegas.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

BANA

Consultar esta notícia em:

http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article89988&ak=1


Bana: O seu acervo musical deve ser estudado

13 Julho 2013
Bana será sempre o “Rei da Morna” e a sua vida e o acervo 

musical, essencialmente de mornas "devem ser estudadas”, 

disse Rui Machado que sempre acompanhou durante a 

sua longa carreira: Bana foi condecorado por Mário Soares, 

Jorge Carlos Fonseca, publicou mais de 60 LP’s e EP’s, 

participou em pelo menos quatro filmes (dois franceses, um 

alemão e um luso-cabo-verdiano), além de ter feito várias 

peças de teatro.




Bana morreu na madrugada de sábado (02h00) de paragem 

cardíaca, no Hospital de Loures, arredores de Lisboa.

O cantor que se encontrava muito fragilizado em estado de 

semi-consciência, estava num lar em Camarate, também na 

região de Loures, onde residia desde há uma semana, 

sob a responsabilidade da segurança social portuguesa 

e da Embaixada de Cabo Verde.

Foi na sequência do último tratamento de hemodiálise a que se submetia desde há alguns anos, três vezes por semana, que o cantor ter-se-á sentido mal e foi transportado para o hospital de Loures. O artista tinha estado antes da sua entrada no lar, dois meses internado no Hospital de Santa Maria.
Luís Fortes, um cantor que reside na Holanda e que apoiava o cantor com “uma mesada”, vem a caminho de Portugal.
Rui Machado, emocionado, disse que o tinha visitado recentemente, mas o seu estado era muito débil. Na sua memória parece que o está a ver até num filme (anos 70 do século XX), que descobriu quando estava na Alemanha e foi surpreendido porque nele entrava o Bana, a falar, em dobragem, o alemão.
Há um ano atrás, Rui Machado almoçou com ele num café perto de sua casa em Benfica, onde Bana o terá convidado para ser seu biógrafo. “Mas ainda bem que foi uma jovem, Raquel Ochoa, que deixou uma boa obra”, disse.
A sua obra “deve ser mais estudada”, disse Rui Machado, recordando que ele dedicou toda a sua vida à morna, cuja carreira internacional começou quando foi para o Senegal.
“Em S. Vicente, Bana era pobre, andava descalço e por isso, naquele tempo, proibiam-no de cantar em sítios de melhor qualidade” e foi quando o grupo de teatro da Universidade de Coimbra foi a Cabo Verde, com Manuel Alegre, Assis Pacheco e José Fanha, que o conseguiram levar pela primeira vez ao “Grémio”.
Da sua vida em Portugal, onde foi condecorado com a Ordem de Mérito Oficial, por Mário Soares e também por Mascarenhas Monteiro, ex-presidente de Cabo Verde e pelo actual Jorge Carlos Fonseca.
Bana: O seu acervo musical deve ser estudado

Em Lisboa actuou em todos os palcos designados como "catedrais da música”. Bana, que é também embaixador da mornas de Cabo Verde, ao lado de Cesária Évora, foi em 2003 acompanhado pela primeira vez com uma orquestra, na Aula Magna de Lisboa, dirigida por Albertino Monteiro. Por variadíssimos lugares do mundo, o artista recebeu homenagens, louvores e felicitações.
OL

Professores terão prioridade como formadores no IEFP!

Diário de Notícias

Pode ler-se esta notícia no Diário de Notícias de 15-07- 2013

por Agência Lusa, publicado por Susana Salvador


Os cursos de formação do Instituto de Emprego e Formação Profissional 
(IEFP) passam a ser ministrados, prioritariamente, por professores, 
segundo uma decisão governamental que pretende evitar que os 
docentes sejam enviados para a mobilidade especial.
De acordo com o gabinete do Ministério da Educação e Ciência (MEC), a prioridade será essencialmente aplicada para a afetação ou contratação "para as componentes de formação de base, sociocultural e científica, podendo ser alargada às demais componentes".
A medida governamental pretende "evitar que haja professores de carreira no sistema de requalificação da função pública".
Três secretários de estado - João Grancho, do Ensino Básico e Secundário, João Casanova Almeida, do Ensino e da Administração Escolar, e Pedro Roque, do Emprego - assinaram por isso um despacho que foi publicado sexta-feira em Diário da República.
Agora, a Direção Geral da Administração Escolar (DGAE) fica encarregue de disponibilizar ao IEFP a plataforma eletrónica para que se possa proceder ao recrutamento e seleção de formadores e de docentes.
Ao passo que o IEFP deverá entregar à DGAE informação sobre o número de docentes e respetivos grupos de recrutamento que serão necessários para cada centro.