sábado, 5 de outubro de 2013

O que a Mãe-Natureza nos oferece: "flor da geada"...

Ao "deambular" pela NET pesquisando, encontrei algumas maravilhas da natureza que me fascinaram e me deixaram boquiaberta...

De tal modo fiquei encantada, que não posso deixar de partilhar aqui este mistério que Deus nos proporciona, pois em cada dia e a cada momento, procuramos explicação para tudo o que nos rodeia...

FONTE: por favor, consulte: http://piletasblog.blogspot.pt/2013/08/flor-da-geada.html

Passo a transcrever:

"24/08/13

Flor da Geada.

A NATUREZA É SURPREENDENTE...

Ela é tão bonita como é rara. Uma flor geada é criada no outono 
ou no início da manhã de inverno, quando o gelo, em camadas 
extremamente finas, é empurrado para fora do caule de plantas 
ou, ocasionalmente, da madeira.
Esta extrusão cria padrões maravilhosos que enrola e dobra 
em pecíolos congelados lindos dando a este fenômeno tanto o 
seu nome, como a sua aparência.

As condições climáticas têm que ser  certas  para flores geada 
a se formarem.
Início do inverno é o momento ideal para se deparar com elas ... 
pois embora as condições meteorológicas devam estar congelando, 
é fundamental que o terreno não seja congelante, pois assim a água 
pode ser sugada no tronco.


Quando a temperatura chega a zero ou um pouco abaixo ... 
a seiva no caule das plantas vai se expandir.

Como ela faz isso: a camada exterior da haste deve ficar sob 
uma pressão crescente, e fissuras microscopicamente finas, 
conhecidas como fissuras lineares, começam a formar-se. 
Estas irão finalmente ceder sob a pressão da seiva e se abrirem 
em formação de fissuras para a água sair para, em seguida, 
congelar.

A água vai elaborando o caule da planta, enquanto o solo 
continua a ser descongelado.
Ela viaja até as plantas, para o eixo estrutural externo 
(tronco) e atinge a divisão ou, então, racha.

Como ela faz isso? Ela escorre lentamente para fora e 
congela. E mais água vem em seguida ....

Esta nova água atinge as fissuras e também congela, 
empurrando o deslizar anterior de gelo para longe da 
haste.
E, desta maneira, são formadas as "pétalas" bonitas 
que você vê nestas fotos.
Por incrível que pareça, o "efeito flor geada" 
pode acontecer na madeira, mesmo quando 
dela se fez  um muro ou um portão, como 
pode ser visto acima. 
Neste caso, a água é submetida a extrusão 
através dos poros da madeira, em vez de fendas.
A flor de gelo tem uma série de outros nomes: 
você pode conhecê-los como "castelos geada", 
"castelos de gelo", "flores de gelo", ou mesmo o 
científico "Crystallo-folia".
No entanto, o nome tem um certo equívoco: 
a geada é criada por vapor de água. Gelo flor, 
por outro lado, são formadas (os) a partir de água 
líquida. ..
Se você se deparar com um, cuidado!
Ao invés de tentar pegá-lo, se você tem uma 
câmera ou um celular com você ... tire uma foto em 
seu lugar.
"Flores geada" são extremamente delicadas e podem  
quebrar quando tocadas.

E mais, como elas são feitas de folhas finas de gelo, 
que vão derreter com o sol e subir para o alto do céu.

Assim, você pode obter, quem sabe, "flores geada" 
novamente no dia seguinte.

Mas chances (condições) são poucas e, assim, 
seu primeiro vislumbre pode o derradeiro... 
A mãe natureza inova sempre em sua arte criativa.  

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Concertos para Bebés: distinguido um Projeto Português da companhia "MUSICALMENTE"

Projecto português Concertos para Bebés ganha prémio de inovação na Alemanha
(jornal Público, Cultura)
É um projeto português que organiza concertos, com o objetivo de sensibilizar crianças muito pequenas  para a música. É da companhia Musicalmente e foi distinguido na categoria inovação do YEAH! Young EARopean Award.
Paulo Lameiro é o Diretor Artístico do Projeto e tem-se dedicado aos mais pequeninos. O projecto "Concertos para Bebés", da companhia Musicalmente, de Leiria, está nomeado para um dos mais prestigiados prémios europeus, o YEAH! Young EARopean Award 2013
"Concertos que tratam os bebés como público vencem prémio europeu"

 15/09/2013 - 13:46 (actualizado às )

"Concertos para Bebés, projecto português que trabalha na sensibilização de crianças muito pequenas para a música, venceu, na categoria inovação, o prémio YEAH! Young EARopean Award, que foi entregue aos vencedores numa cerimónia sábado em Osnabrück, Alemanha, e que tem o valor de cerca de 6700 euros. O objectivo do YEAH!, dirigido a orquestras, grupos, salas de espectáculo, músicos, compositores, autores, pedagogos e artistas, é distinguir “mentes criativas e ideias musicais que desenvolvam o entusiasmo das crianças e dos jovens pela música para além da cultura popular jovem”, lê-se no site. Para Paulo Lameiro, director artístico do projecto que é desenvolvido pela companhia Musicalmente, o mais importante neste prémio é o facto de "reconhecer que este público pode ter uma fruição artística de nível superior, que não apenas a que está ligada ao serviço educativo". Isto é particularmente valioso num mundo, o da música para bebés, em relação ao qual "ainda existe muito preconceito". E essa é aliás, segundo explicou ao PÚBLICO, a característica principal dos Concertos para Bebés: "Partimos do pressuposto de que não há intenção pedagógica no acto performativo". O bebé é aqui "entendido como público" por inteiro, o que distingue este projecto de muitos outros que existem nesta área. Além disso, o que fazem são concertos. "Há uma dimensão plástica e dramatúrgica, mas fazemos concertos", explica Paulo, sublinhando que abarcam a música erudita desde a antiga à contemporânea. Mais uma vez, isso distingue-os de companhias que são em primeiro lugar teatro musical. Também aqui o prémio vem ajudar. Apesar de o Musicalmente já ter uma grande actividade internacional — os Concertos para Bebés fora de Portugal representam 30% da actividade da companhia, que toca habitualmente por toda a Europa, mas também na Ásia e América — a visibilidade que agora ganharam poderá abrir portas diferentes. "A maior parte da nossa actividade é ainda em festivais de teatro e não de música. O prémio veio abrir essas portas ao legitimar um trabalho nesta faixa etária fora do domínio da pedagogia". A faixa etária com a qual trabalham vai dos zero aos cinco anos, o que significa que desde que existem, há 15 anos, os Concertos já acompanharam várias crianças — e foram conquistando pais e avós. "Há oito anos tomámos a decisão de abrir a bilheteira a adultos sem crianças", conta o director artístico. Para o seu público em Portugal — são residentes no Teatro Olga Cadaval, em Sintra, e no Teatro Miguel Franco, em Leiria, onde estão baseados — apresentam um programa novo todos os meses, que pode ser inspirado num país, um compositor, uma época, um instrumento, uma pessoa. No próximo domingo vão apresentar em Sintra um programa com música do Japão, em colaboração com duas solistas japonesas, e para o qual vão ter no palco um aquário com carpas koi. Em Outubro vão estar a tocar jazz com Mário Laginha, em Dezembro vão ter um coro infantil com 40 crianças dos 6 aos 14 anos a cantar para bebés, e em Fevereiro de 2014 estarão dedicados à música tradicional. No palco são, como núcleo base, oito pessoas: quatro instrumentistas e quatro "intérpretes de tapete", o que inclui uma bailarina, dois cantores e um maestro. A presença destes é fundamental para fazer a ponte entre os músicos que estão com os instrumentos e os bebés, que começam geralmente sentados ao colo dos pais, instalados em almofadas, mas que depois se aventuram pelo palco e exploram os instrumentos. Os únicos limites são os da segurança, de resto os bebés são livres de andar pelo palco. E, para que se sintam confiantes, os músicos começam por tocar-lhes ainda antes do início do concerto. "O bebé sente-se mais seguro e consegue viver momentos musicais intensos". "Notícia actualizada às 18h45 com declarações do director artístico"

Um cafezinho logo de manhã para começar o dia...

Bom dia e bom trabalho...
E90736FE2E3A43C98228E1993CD435BF@MariannePC
imagem obtida em: originais2010.blogspot.com
 
 

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Hoje é Dia Mundial da Música - 1 de outubro de 2013

Em 1975, o dia 1 de Outubro ganhou novo significado. Nesse ano, o International Music Council, organização fundada pela UNESCO, instituía o Dia Mundial da Música. Objectivo: levar música de todo o tipo a todo o tipo de pessoas, dentro dos ideais de paz e respeito fomentados pelo braço da ONU.
No Portugal de 2013, esses objectivos reflectem-se numa série de eventos dedicados àquela que é, por excelência e etimologia, a "arte das musas". A maioria surge nas formas mais comuns (concertos e recitais), mas também há programadores que desobedecem alegremente aos cânones. Ao público, melómano ou não, cabe escolher... ou deixar-se surpreender.
Amadora | Takinareia
Sons de Portugal e do Brasil à mistura com aromas de África.
Braga | Entre Cante e Piano
Música de câmara contemporânea de mãos dadas com modas tradicionais alentejanas.
Braga | M-Day
Ermo, Gobi Bear, Nicotine's Orchestra e Days of July espalham concertos pela cidade.
Coimbra | Andrew Swinnerton e Orquestra Clássica do Centro
Lançamento do novo trabalho do agrupamento, "Em Memória da Madrugada (em Coimbra)".
Guarda | Okupa Koncerto
Os músicos ocupam espaços que não o palco. O público é chamado ao seu encontro.
Lisboa | Coral de São Domingos
Um concerto na Mãe d'Água para celebrar também o Dia Nacional da Água e o 26.º aniversário do Museu da Água.
Lisboa | José Carlos Araújo
Peças de Seixas e outro repertório setecentista tocadas num tesouro do Museu da Música.
Lisboa | Kantata de Algibeira
Uma paisagem sonora resultante de um projecto comunitário com gente de todas as idades, formações e experiências.
Lisboa | Noiserv
O cantautor oferece um concerto com entrada livre para apresentar o novo álbum, "Almost Visible Orchestra".
Olival Basto | Clássicos! São os Trapos
Mozart, Barber, Mendelssohn e Tchaikovsky humoristicamente comentados por Carlos Moura.
Ponte de Lima | Marina Pacheco & Olga Amaro
O duo, que nasceu precisamente há dois anos, concebeu música, poesia e teatro para um continente perdido.
Porto | Escola Profissional de Música de Espinho
Aqui, a música mete água... Os intérpretes dão banda sonora a uma visita ao aquário. 
Porto | Orquestra de 100 Flautas e 100 Saxofones
Um mar de flautas e saxofones recria obras de Sciarrino e Monteverdi.
Porto | Quarteto Ruggeri
Músicos da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música articulam uma peça de Donizetti com uma obra de Debussy.
Porto | Orquestra da Guarda Nacional Republicana
Um concerto lírico de beneficência que assinala também os nove séculos da Ordem Soberana e Militar de Malta.
Setúbal | Músicos do Tejo
Uma homenagem a Luísa Todi, num concerto encenado em estreia absoluta.



Vila Nova de Gaia | Saúl Picado
Celebração a cargo de um discípulo de Pedro Burmester.

Para pensar e refletir

Saudade

é quando a distância se arruma dentro do peito
as palavras se arrumam por dentro da boca
o silêncio se arruma por dentro do fado
e o fado se arruma por dentro de nós.

Olívia Santos

portuguesenurse.hourb.com

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

"Ser Professor"...


imagem conseguida em: http://clubedospensadores.blogspot.pt/2012/08/professores.html

Para refletir...
A cada ano que passa a desilusão com a profissão é cada vez maior. 
Admito que os que nela se mantêm (pelo menos a maioria) o fazem 
porque o curso que obtiveram e a idade entretanto atingida não lhes 
permitirá sair de um sistema estrangulador.
E para este sistema estrangulador contribuem diversos factores, a que 
poucos serão indiferentes, como por exemplo:
a) Um número cada vez maior de alunos por turma (em salas de 
aulas que não apresentam características físicas que o suportem);
b) A crescente falta de respeito a que somos sujeitos por alunos, 
encarregados de educação, opinião pública e pelos sucessivos governos;
c) O acréscimo insustentável de trabalho burocrático (algum dele que 
deveria - e já foi - ser responsabilidade de quem se encontra 
nos serviços administrativos);
d) A multiplicação de documentos e de trabalho que nem sequer 
encontra suporte na legislação, mas que agrada a quem dirige as escolas 
agrupamentos de escolas;


Uma palavra muito ouvida ultimamente: CONSTITUIÇÃO

Noção de Constituição, para vários políticos, não só atuais, como do passado. É interessante ler o que cada um declarou sobre esta palavra tão importante na vida de uma Nação.

Para Pedro Passos Coelho
"Não é preciso rever a Constituição para cumprir o programa de ajustamento e para implementar estas medidas. É preciso bom senso" 
Primeiro-Ministro Português, 1964 - 

Para Abraham Lincoln
"Nada deve interferir com a Constituição, pois é a única salvaguarda das nossas liberdades" 
Presidente dos Estados Unidos, 1809-1865

Para Patrick Henry
"A Constituição não é um instrumento para o governo controlar o povo, mas um instrumento para o povo vigiar o governo"
Advogado norte-americano e defensor da liberdade, 1736-1799

Para Benjamim Franklin
"A Constituição não garante a felicidade, apenas os meios para a alcançar. Cada um tem de se esforçar para a obter"
Escritor e líder da revolução americana, 1706-1790

(segundo leitura da revista SÁBADO, nº 488, de 5 a 11 setembro 2013)

domingo, 29 de setembro de 2013

O que é a SAUDADE?

"Saudade é amar um passado que ainda não passou,

É recusar um presente que nos machuca, 
É não ver o futuro que nos convida..."
Aguinaldo Silva
          

colunas.revistaepoca.globo.com