sábado, 5 de julho de 2014

Uma Frase de Picasso

As pessoas excecionalmente criativas, muitas vezes ligadas às belas-artes, demonstraram sempre um grande interesse em expressar ideias contraditórias entre si. É este o caso:

"Todo o ato de criação é, primeiro que tudo, um ato de destruição." PICASSO

in: www.mymodernmet.com

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Dois alentejanos...

Dois alentejanos encontram-se e diz um para o outro:
 

- Compadre, onde vai com esse carro de estrume?
 

Responde o outro:
 

- É para pôr nos morangos.
 

Diz o primeiro:

- Atão o compadre nunca experimentou com natas?
refogadodecebola.wordpress.com

quinta-feira, 3 de julho de 2014

A Poesia de Sophia

imagem em : wiki.ued.ipleiria.pt
Para Atravessar Contigo o Deserto do Mundo 
  
Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo

Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento


Sophia de Mello Breyner Andresen, in 'Livro Sexto'

Imagem da obra
http://purl.pt/

Curiosidade...

Sabia que...

na Grécia antiga, lançar uma maçã a uma mulher, era uma proposta de casamento? E que pegar nela, significava aceitação?!

"Na mitologia grega, as maçãs aparecem em muitas tradições religiosas, muitas vezes como um místico ou um fruto proibido. Um dos problemas para identificar as maçãs na religião, mitologia e lendas populares é que a palavra "maçã" era usado como um termo genérico para todos os frutos (estrangeiros). Por exemplo, na mitologia grega, o herói grego Héracles, como parte de seus doze trabalhos, foi obrigado a viajar para o Jardim das Hespérides e pegar as maçãs de ouro da Árvore da Vida.
A deusa grega da discórdia Eris, ficou insatisfeita depois que ela foi excluída do casamento de Peleu e Tétis. Em retaliação, ela jogou uma maçã de ouro na festa de casamento.
A maçã foi considerada, na Grécia antiga, o símbolo do amor.
Três pomos de ouro aparecem na mitologia grega. Hipomene aposta com Atalanta, uma caçadora virgem que prometeu casar com o homem que pudesse vencê-la numa corrida terrestre. Ela perde ao pegar três pomos de ouro de Afrodite que Hipomene coloca em seu caminho.

Hércules roubando as maçãs de Hespérides
Noutro caso, o jardim de Hespérides é o pomar de Hera, onde crescem árvores que dão maçãs douradas da imortalidade. No local está o dragão Ladão, vigia de Hera contra invasores. Um dos doze trabalhos de Hércules era justamente roubar pomos de ouro do jardim.
Em mais uma ocorrência, Zeus promove um banquete pelo casamento de Peleu e Tétis. Estando fora da lista de convidados, a deusa da discórdia Éris coloca uma maçã dourada na cerimônia, com uma inscrição onde se lê "Para a mais bela". Três deusas desejam a maçã: Hera, Atena e Afrodite. Zeus se lembra de Páris como o mais justo dos homens mortais, e sabia que ele julgaria uma competição de touros. Ares é enviado sob forma de touro para participar. Sendo um deus, era perfeito em todos os aspectos e ganhou a competição. Zeus agora sabia que Páris faria bom julgamento, e o envia a maçã, indicando que as deusas deveriam aceitar sua decisão sem discussão. Cada uma delas oferece a Páris uma oferta para obter a maçã. Hera o oferece ser um rei famoso e poderoso. Atena o oferece ser sábio, mais que alguns dos deuses. Afrodite o oferece a mulher mais linda como esposa. Esta é a escolhida, e a mulher oferecida foi Helena de Troia, o que eventualmente resultou na Guerra de Troia. A maçã de Éris é posteriormente chamada Pomo da Discórdia."
http://pt.wikipedia.org/wiki/

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Sophia de Mello Breyner há muito merecia esta homenagem

www.portoeditora.pt
"O escritor Miguel Sousa Tavares disse, na noite de quarta-feira, que a melhor homenagem que se pode prestar hoje a Sophia de Mello Breyner Andresen é o reconhecimento de que a sua obra continua "deslumbrantemente atual". 

O jornalista, filho da poetisa, afirmou que, perante um país "onde a seleção nacional vale mais do que a língua" e que é caracterizado pelo "novo-riquismo" e pela "piroseira literária", "a melhor homenagem que se pode fazer à escrita de Sophia, dez anos após a sua morte, é reconhecer que ela continua deslumbrantemente atual". 

"Pedra, luz, fruto, manhã, mar, vento, nisto todos nos reconhecemos, por isso citamos de cor os seus poemas e passamos de geração em geração os seus livros infantis, com que tantos de nós aprendemos o fascínio da leitura", realçou Miguel Sousa Tavares, no seu dia de aniversário, durante uma sessão do "Porto de Encontro" numa Casa da Música praticamente completa." 

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/melhor-homenagem-a-sophia-e-reconhecer-deslumbrante-atualidade----sousa-tavares

" E se eu disser que foi tudo confusão...não é verdade!" uma linda canção portuguesa pela doce Carolina Deslandes


Wendy Nazaré, "Cheira bem, cheira a Lisboa"...


terça-feira, 1 de julho de 2014

Origem e história da palavra "impertinente"...

 "O impertinente é um chato dos grandes, se me permitem que o diga.  

Incomoda e encanzina, fala e age a despropósito chegando a ser malcriado.

Na origem o termo não tem esta tão forte vertente mal-educada e acintosa, já que designava sobretudo o que estava desajustado. 

O impertinens era o oposto do pertinens, que significava o que era ajustado, enquadrado e correto (o in+pertinens era o seu antónimo). 

O étimo mais distante é o verbo latino tenere, de onde procedem muitas palavras como ter, pertencer, pertinaz, obter, conter, reter e por aí fora...

Assim sendo, o impertinente romano era o que não tinha ajuste ou enquadramento.

O ator Luís Aleluia interpretou exemplarmente um miúdo impertinente. Quem não se lembra do Menino Tonecas?"  
(in Dicionário de Insultos, de Sérgio Luís de Carvalho, Planeta)

www.em10taque.com

segunda-feira, 30 de junho de 2014

domingo, 29 de junho de 2014

Os avós portugueses...



"Avós portugueses são dos que cuidam mais dos netos

Estudo diz que no País as mães trabalham mais, os rendimentos são baixos, faltam apoios e há mais agregados com as três gerações 

Os avós portugueses que cuidam dos netos fazem-no diariamente ao contrário de outros europeus. 

Esta é uma característica da Europa do Sul, mas em Portugal as mulheres trabalham mais horas, há menos apoios e há mais famílias onde vivem as três gerações na mesma casa, conclui um estudo europeu, que será apresentado terça-feira na Fundação Calouste Gulbenkian.

"Em Portugal, Espanha, Itália e Roménia, onde as prestações sociais pagas aos pais e às mães que ficam em casa são limitadas e onde há pouca oferta de estruturas formais de acolhimento de crianças e poucas oportunidades das mães trabalharem a tempo parcial, os avós asseguram uma grande parte dos cuidados intensivos prestados aos seus netos", explicam os autores do estudo europeu "A prestação de cuidados pelos avós na Europa"."

http://www.dn.pt/inicio/portugal/  28.06.2014