sexta-feira, 12 de junho de 2015

Noite de Festa: Santo António

A propósito das Festas de Lisboa, procurei e encontrei, aproveitando para partilhar:  
in observador.pt (12.06.2015):

Arraiais populares

“Vira o disco e toca o mesmo”. A expressão encaixa que nem uma luva nos arraiais populares de Lisboa. Sendo que, neste caso, não há nada de pejorativo nessa aplicação. A música não muda e ainda bem que assim é. Até porque segundo outra expressão, esta de origem anglófona, “if it ain’t broke don’t fix it“. Ou seja, que não se conserte o que não está partido. E os arraiais populares lisboetas estão longe de o estar.
(Se mesmo assim não lhe interessa a tradição e não quer saber quem é o pai da criança, carregue aqui e vai ter diretamente aos arraiais alternativos.)  
Por exemplo, a música não muda há mais de uma década no arraial doMarítimo Lisboa Clube, na Bica. Os Pão Com Manteiga, banda especializada em reproduzir a nata do cançonetismo popular, de Quim Barreiros a José Malhoa, são presença assegurada nas noites de 12 e 13, no palco instalado na Calçada da Bica Grande. Não é esse, contudo, o único arraial do bairro — no largo de Santo Antoninho é o Grupo Desportivo Zip Zip que providencia animação e alimento, estendendo a festa até à vizinha Rua dos Cordoeiros.

manjericos
Seja em que bairro for,
os manjericos são presença assegurada nas bancas. 
(foto: © José Frade)
Quem não conseguir (ou quiser) descer até ao centro da Bica pode sempre ficar no arraial dos Santos de Santa, a cargo dos escuteiros do Agrupamento 48 de Santa Catarina. A festa, mais abrigada que noutras paragens, dá-se no Páteo dos Tanoeiros, junto à Igreja de Santa Catarina, na Calçada do Combro. Na noite de 13, sábado, o músico Henrique Fuzeta repete a atuação de anos anteriores.
Da Bica para Alfama, a festa torna-se ainda mais tradicional, por difícil que seja. No bairro vencedor das marchas populares em 2014 não há recanto que não seja aproveitado para vender sardinhas, cerveja ou manjericos, não necessariamente por esta ordem. O epicentro das festividades é o Largo de São Miguel, e a organização está a cabo da Associação Recreativa Amigos de São Miguel.

alfama
Cenário habitual em Alfama, nesta época. (foto: © José Frade)
Seguindo a multidão em direção ao castelo, destaque para a festa na Rua de São Tomé, junto às Portas do Sol, de um lado da encosta, e para asSardinhas Achadas, nas escadinhas homónimas, do outro. Este último arraial é típico em tudo, do cenário à frequência, exceto na música, assegurada, na noite de 12, por DJ sets e pela brasileira Nega Jaci. Já na Mouraria, encontra-se um ambiente mais bairrista, mas nem por isso menos animado: no Largo da Severa e ruas adjacentes vai ouvir-se, na noite de 12 para 13, o órgão e a voz de Nélio Pinto, na festa organizada pelo Grupo Desportivo da Mouraria.

sardinhas achadas
O cenário onde decorre 
o arraial das Sardinhas Achadas.
(foto: Facebook / Sardinhas Achadas)
Noutra colina de Lisboa, a da Graça, é o arraial da Vila Berta quem mais ordena no que à fama diz respeito. Tem sido assim nos últimos anos, fruto de uma organização cada vez mais profissional que inclui cocktails da Ás de Copos ou gelados Santini. Na noite de sexta-feira, será possível dançar ao som da dupla Nélio e Sérgio, também conhecida por Astros. Na vizinha Voz do Operário, cumpre-se a tradição com o arraialBeco de Lisboa, que guardou uma noite de fados para sábado.

Fora do centro histórico da cidade, não deixam de haver algumas propostas bem interessantes. O estreante Arraial de Santo António da Praça da Alegria é uma boa opção para quem procura zonas mais desafogadas. Com direito a um imponente porco no espeto e, na noite de sábado, a um concerto de um dos ícones nacionais da música ligeira, o setubalense Toy. Em Arroios, a festa, organizada pelo Atlético de Arroios, anima a rua homónima, “da ponte até ao pátio”, como dizem, entre as 19h00 e as 02h00, na sexta e no sábado. Destaque ainda para os arraiais de Campo de Ourique (com organização d’Os Combatentes) e Carnide (cortesia do Carnide Clube), cuja tradição pouco fica a dever a outros bem mais afamados e concorridos.

arroios
                                          Em Arroios, foi assim no ano passado. 
                                          (foto: Facebook / Atlético de Arroios)

Sem comentários: