sábado, 20 de junho de 2015

Frei António das Chagas


Soneto do século XVII


No século XVII, Barroco, os artistas eram dados a estes jogos. 
Às vezes até se ficavam pelos trocadilhos, não curando dos assuntos. 
Mas este tem assunto bem recheado de saber.

Soneto, obra prima do trocadilho, escrito no século XVII por um tal
António Fonseca Soares (Frei António das Chagas)

           CONTA E TEMPO

              Deus pede estrita conta de meu tempo.
              E eu vou, do meu tempo, dar-lhe conta.
              Mas, como dar, sem tempo, tanta conta,
              Eu, que gastei, sem conta, tanto tempo?


              Para dar minha conta feita a tempo,
              O tempo me foi dado, e não fiz conta.
              Não quis, sobrando tempo, fazer conta.
              Hoje, quero fazer conta, e não há tempo.

              Oh, vós, que tendes tempo sem ter conta,
              Não gasteis vosso tempo em passatempo.
              Cuidai, enquanto é tempo, em fazer conta!

              Pois, aqueles que, sem conta, gastam tempo,
              Quando o tempo chegar, de prestar conta
              Chorarão, como eu, o não ter tempo...

https://pt.wikipedia.org/wiki/

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Homenagem ao Cinema Francês

Sophie Marceau in pt.wikipedia.org
Louis de Funès in tvtropes.org


Os Franceses e o cinema
"28 março 2015
O observatório BVA-DOMEO-PRESSE REGIONALE da vida quotidiana dos Franceses
1) 'a grande lista de premiados (palmarés) do cinema francês': Louis de Funès é o ator preferido dos Franceses, Sophie Marceau a sua atriz preferida, Luc Besson o seu realizador preferido e "La Grande Vadrouille" (A Grande Paródia) o seu filme preferido.
2) 55% dos Franceses preferem os filmes franceses aos filmes americanos (39%), mas dos 18 aos 34 anos preferem os filmes americanos (54%, contra 43%).
3) A esmagadora maioria dos Franceses (70%) prefere ver os filmes estrangeiros em VF (versão Francesa) do que na VO (versão original) legendada (28%). Mas isso poderá vir a evoluir, com os 18-34 anos a serem bem mais numerosos que os mais velhos a preferir os filmes em VO - 46% contra 22% dos 65 anos e mais.
4) As práticas dos Franceses em cinema: 17% dos Franceses vêem um filme "pelo menos uma vez por dia", 79% "pelo menos uma vez por semana" e 90% "pelo menos uma vez por mês". 
17% dos Franceses vão ver um filme ao cinema, pelo menos uma vez por mês; e 20% vêem um filme em DVD, enquanto que 24% vêem um filme no computador ou no tablet; e 82% vêem um filme na televisão. Às vezes, 18% dos Franceses descarregam ilegalmente filmes na Internet , em que 37% têm entre 18 e 34 anos!

No fim de contas, 30 anos depois da sua morte, esta sondagem é por conseguinte um novo triunfo para Louis de Funès, que continua o ator preferido dos Franceses e cujo maior sucesso "La Grande Vadrouille" (A Grande Paródia), continua também o filme mais popular, quase 50 anos depois de sair do cartaz. Por outro lado, este estudo mostra também a grande popularidade de Sophie Marceau e de Luc Besson, sempre, respetivamente, atriz e realizador preferido. Enfim, mais globalmente, este estudo mostra a popularidade do cinema francês no seu conjunto e do cinema em geral, que os Franceses são sempre tão numerosos a ohar e a apreciar, quer seja no cinema, na Internet, na televisão ou em DVD." 
in http:// www.bva.fr/fr/sondages/les_francais_et_le_cinema.html

in watch.i-fix.co

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Gabriel García Márquez disse um dia...

imagem conseguida em: caribbeanbookblog.wordpress.com
 A propósito de conceber histórias e do quão difícil é ser escritor...

"...(...) o ofício de escritor é talvez o único que se torna mais difícil à medida que mais se pratica." 

...(...) Nunca sei quanto vou poder escrever nem o que vou escrever. Espero que me ocorra alguma coisa e, quando me ocorre uma ideia que ache boa para a escrever, ponho-me a dar-lhe voltas na cabeça e deixo-a ir amadurecendo. Quando a tenho terminada (e às vezes passam muitos anos, como no caso de Cem Anos de Solidão, que passei dezanove anos a pensar), quando a tenho terminada, repito, então sento-me a escrevê-la e é aí que começa a parte mais difícil e a que mais me aborrece. Porque o mais delicioso da história é concebê-la, ir arredondando-a, dando-lhe voltas e mais voltas, de maneira que na altura de nos sentarmos a escrevê-la já não nos interessa muito, ou pelo menos a mim não me interessa muito; a ideia é que dá voltas."  

("Gabriel García Márquez, Como comecei a escrever, in Jornal de Letras de 15 a 28 de abril de 2015, Debate-Papo, pág. 33)

Uma boa sugestão de leitura para este verão: "Cem anos de solidão", de Gabriel García Márquez. 

Eu já li!

terça-feira, 16 de junho de 2015

Algumas Citações da Antiguidade

ésquilo, in www.zahar.com.br
"Parecer louco pode parecer algo de muito proveitoso, se formos sensatos." 

ÉSQUILO, in Prometeu Agrilhoado 
(séc. V a.c.)

"É caso comum fornecermos aos nossos inimigos os meios para a nossa própria destruição. 
ESOPO, in A Águia e a Coruja 
(séc. VI a.c.)

esopo, in www.buscabiografias.com
"O homem deseja ser feliz, mesmo vivendo de tal forma que torna impossível a felicidade." 
Santo Agostinho, in A Cidade de Deus 
(séc. IV)

sto agostinho, in fernandavilhena.blogspot.com

domingo, 14 de junho de 2015

Alto do Pina, vencedor das marchas populares 2015, de Lisboa

O bairro do Alto do Pina venceu na edição deste ano. O segundo lugar foi atribuído à Marcha de Alfama e o terceiro à Marcha de Alcântara.

in www.publico.pt