quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Homenagem a Danielle Darrieux

in: http://jconline.ne10.uol.com.br

Atriz francesa Danielle Darrieux morre aos 100 anos

Segundo o marido, Danielle faleceu após complicações de uma queda
Publicado em 19/10/2017, às 15h18
Da AFP


A atriz francesa Danielle Darrieux faleceu na terça-feira aos 100 anos, depois de participar de mais de uma centena de filmes, com frequência interpretando personagens muito elegantes. O estado de saúde "havia deteriorado um pouco recentemente após uma queda", afirmou à AFP seu companheiro, Jacques Jenvrin. A atriz morreu em casa, no noroeste da França.
Arquétipo da beleza de sua geração, loura e delicada, teve um início de carreira precoce e aos 14 anos participou de Semente do Mal, do diretor Billy Wilder. Ela trabalhou em Hollywood e na Broadway nos anos 1930 e foi aclamada pelo filme romântico A Sensação de Paris, de 1938.
Durante a Segunda Guerra Mundial, trabalhou durante a ocupação nazista da França, inclusive para o estúdio Continental, dirigido pelos alemãs, o que a levou a ser chamada de colaboracionista.



Apesar disso, após a libertação da França pelos aliados, Darrieux continuou emplacando sucessos, especialmente sob a direção do cineasta francês Max Ophuls, em filmes como O Prazer e Conflitos de Amor.
Também participou em Cinco Dedos, de Joseph Mankiewicz, e interpretou a rainha da Espanha em Entre o Amor e o Trono, de Jean Cocteau. Também integrou o elenco de Duas Garotas Românticas, de Jacques Demy. Mais recentemente apareceu em 8 Mulheres, de François Ozon, e em 2007 emprestou sua voz para a animação Persepolis, indicada ao Oscar.

VIDA PESSOAL

Darrieux se casou três vezes, com o cineasta Henri Decoin, o milionário Porfirio Rubirosa e o roteirista Georges Mitsinkidès, que faleceu nos anos 1990. Com este último, adotou um filho, que morreu pouco depois do marido.
FONTE: in: http://jconline.ne10.uol.com.br

imagem in: publico.pt (19.10.2017)
(Danielle Darrieux em 1952,
na fotografia de promoção do filme 
Operação Cícero, de Mankiewicz DR)

domingo, 19 de novembro de 2017

Uma história de amor que veio da China...

in: http://omareafilosofia.blogspot.pt

Esta é uma verdadeira história de amor chinês, que nos deixa comovidos...

"Ele construiu seis mil degraus para viver com ela

Xu Chaoqing e Liu Guojiang conheceram-se no dia do casamento dela. Ela tinha 17 anos, ele tinha seis. Catorze anos depois, apaixonaram-se. E ele construiu seis mil degraus como prova de amor.
As histórias de amor estão a cair em desuso. Já não existem grandes romances sobre um homem e uma mulher que se apaixonam perdidamente. Já não existem filmes românticos que não tenham o terrível “comédia” atrás, com dois parolos a tentar ser engraçados que ficam juntos no final. Ser romântico tornou-se sinónimo de ser lamechas. Mas ainda existem verdadeiras histórias de amor que não foram contadas.
Em junho de 1942, numa pequena aldeia chinesa, Xu Chaoqing casava-se. Tinha 17 anos. Entre os convidados estava Liu Guojiang, de apenas seis anos, que tinha acabado de perder um dente. Ora, uma tradição chinesa diz que só existe uma maneira de fazer com que os dentes voltem a nascer: beijar uma noiva. A ocasião era a mais oportuna e a família do pequeno Liu insistiu para que Xu lhe desse um beijinho. A partir daquele dia, o pequeno rapaz ficou perdidamente apaixonado pela jovem.
Catorze anos passaram, Xu teve quatro filhos e ficou viúva. Liu, que entretanto se tinha tornado um jovem rapaz, decidiu ajudar a família e começou a passar mais tempo lá em casa. Os rumores e o diz que disse não tardaram em aparecer: ninguém na tradicional aldeia aceitava que uma mulher refizesse a sua vida depois de ficar viúva, principalmente com um homem tantos anos mais novo.
Xu e Liu, que entretanto tinham caído nos braços um do outro, não aguentavam mais os comentários que surgiam sempre que saíam à rua. Tomaram a decisão radical de se mudarem para as montanhas, longe de todos os olhares indiscretos, onde encontraram uma gruta e ali se estabeleceram. Como luz, só tinham lâmpadas de óleo de parafina e chegaram a ter de se alimentar com ervas e raízes. O ABC conta que Liu perguntava todos os dias à mulher “arrependes-te?”, ao que ela respondia “se trabalharmos muito, a vida vai melhorando”.
Mas mesmo com toda a força de vontade, Xu não conseguia habituar-se à vida nas montanhas e tinha saudades da aldeia. Por isso, como uma prova de amor, Liu construiu com as próprias mãos uma escadaria de seis mil degraus para que a mulher pudesse descer até à aldeia quando quisesse. Liu morreu em 2008 e Xu em 2012, depois de viverem mais de 50 anos juntos. Hoje, a gigante escadaria é a maior atração turística da pequena aldeia de Jiangjin, na China."
in: observador 17.11.2017

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Ministro das Finanças responde às contestações

imagem in: sulinformacao.pt

"Ministro diz que 47% dos professores, 37% de médicos e magistrados 
e 57% dos enfermeiros vão progredir na carreira já em 2018
O ministro das Finanças, Mário Centeno, aproveitou a sua intervenção inicial no 
Parlamento para responder às reivindicações corporativas no descongelamento 
das carreiras de trabalhadores da Administração Pública. 
Sem esquecer nenhum dos setores que têm contestado o Governo: 
com os professores à cabeça, médicos, enfermeiros e magistrados, para além 
dos técnicos superiores da função pública.
Recordando que a "progressão nas diversas carreiras recorre às regras de cada 
carreira", Mário Centeno citou o primeiro-ministro, António Costa, para 
sublinhar que, "nas carreiras em que o tempo conta, o que este orçamento faz 
é pôr o cronómetro a funcionar". Ou seja, Segundo o ministro das Finanças, 
em 2018, "47% dos professores vão progredir", ou seja, "46 mil professores", 
num total de "mais 115 milhões de euros" para esse descongelamento, apontou. 
"Não há efeitos retroativos", rematou.
Apontando que "a diversidade na Administração Pública é muito grande, muito 
significativa", Centeno defendeu que "cerca de 37% de médicos e magistrados 
vão ser progredidos" e "57% dos enfermeiros veem a sua carreira valorizada". 
"Nas carreiras gerais, quase 40%, quase dez mil" funcionários vão progredir.
Ouvido na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, 
no âmbito do debate na especialidade do Orçamento do Estado para 2018, 
Mário Centeno sublinhou que, no próximo ano, "todas as carreiras vão funcionar 
e todas as regras são retomadas".
Cada caso é um caso, avisou o ministro: "Trata de forma igual o que é igual", 
no qual o "descongelamento não desvirtua as regras", criando "um processo 
universal que inclua todas" as carreiras, respeitando o regime de cada uma delas.
"O descongelamento das carreiras é complexo", admitiu, para logo avisar que os 
valores em causa "não seriam compatíveis com aumentos ao longo de um só ano",
num processo que no total aponta para "mais de 600 milhões de euros".
Para o final, Mário Centeno constatou que, "ao longo de sete anos, as carreiras 
estiveram congeladas", mas o Governo está "a reconhecer todos direitos de 
desenvolvimento remuneratório", numa "reforma estrutural" que tem "um valor 
incalculável" e beneficia "mais de 550 mil trabalhadores"."
(in: dn.pt)

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

As carreiras dos professores


Os professores não aceitam ficar de fora em relação aos outros funcionários 
públicos, pois a estes vai ser contado todo o seu tempo de serviço para efeito 
de evolução na carreira. Sempre são nove anos, quatro meses e dois dias de 
tempo de serviço que os professores não querem, não podem e não devem
perder (entre agosto de 2005 e dezembro de 2007 e entre 2011 e 2017)! 


Os professores também são funcionários públicos!
Muito se tem ouvido e lido sobre isto, mas é sempre bom ouvir-se mais uma 


opinião, agora a de Paulo Baldaia, no DN a 15 de novembro de 2017.
(Paulo Baldaia)
 in: dn.pt

"O berbicacho da geringonça
A geringonça meteu-se definitivamente num grande berbicacho. 
Os argumentos para o governo seguir por este caminho podem ser jurídicos, 
mas é evidente que o orçamento não comporta a reivindicação dos professores. 
A vida vai ficar muito difícil para o governo socialista, já que o cidadão comum 
terá dificuldade em perceber esta discriminação, por mais ou menos empatia 
que tenha com esta luta dos professores, e quem de todo não a vai aceitar são 
os professores. Adivinha-se luta dura e prolongada na rua. 
Acresce que esta é uma luta que já conseguiu unir UGT e CGTP e que vai 
deixar os socialistas sozinhos no Parlamento.
Na verdade, já há uma discriminação que favorece os professores. 
Em regra, eles progridem de quatro em quatro anos, enquanto a progressão 
na maioria das carreiras se faz de dez em dez. 
Justo poderá ter de ser os professores cederem nalguma coisa, injusto é 
diferenciá-los negativamente com o argumento de que eles têm uma carreira 
mais favorável. Impossível é pensar que o governo pode ganhar este 
braço-de-ferro.
Depois da reposição de rendimentos, a geringonça julgou possível fazer um 
caminho tranquilo em direção aos aumentos reais na função pública, que se 
sentiriam em força em ano de eleições. Pois que não é possível agradar a 
gregos e a troianos, ou bem que se manifestam orgulhosos por cumprir as 
regras orçamentais de Bruxelas ou bem que cedem a todas as reivindicações. 
Para Mário Centeno, que zela pelas boas contas do país, não pode haver aqui 
nenhuma surpresa, mas pode contar que a vida lhe vai ficar mais difícil na 
relação com o PS. Os militantes não gostam nada de ser o bombo da festa e 
é a ele que vão apontar as baterias."



Teremos de continuar a seguir as notícias atentamente, pois parece-me que 


ainda vai correr muita tinta sobre este assunto!


Conclusão: a geringonça tem mesmo um grande berbicacho pela frente!

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Quando estamos a ser "idiotas"

"A melhor maneira de convencer um idiota que ele está errado
 é deixá-lo agir como deseja." 

Josh Billings

in: http://fixquotes.com